Gestão de gases de efeito estufa

 

Novo sistema de tratamento de efluentes das indústrias PARAPALMA e AGROPALMA: 1 - Torres de resfriamento; 2 - Biorreatores anaeróbicos; 3 - Tanque de decantação e recirculação de microorganismos.Após 4 anos de avaliações, o Grupo Agropalma identificou duas fontes principais de gases de efeito estufa (GEE): a mudança histórica do uso da terra e os sistemas de tratamento dos efluentes das 5 indústrias extratoras, que geram gás metano. Como a mudança histórica do uso da terra não pode ser gerenciada, a opção mais eficaz para o Grupo reduzir emissões de GEE é atuar nos sistemas de tratamento de efluentes, responsáveis por mais de 70% das emissões operacionais. Assim sendo, assumimos o compromisso de buscar a eliminação das emissões de metano desses efluentes, por meio da execução do plano de ação de ação apresentado abaixo.

Conforme ilustrado nas imagens apresentadas nessa página, a instalação das novas lagoas de efluentes nas indústrias PARAPALMA e AGROPALMA já foi concluída. Vale ainda registrar que a indústria CPA é relativamente pequena e tecnologias de eliminação de metano serão identificadas e avaliadas. Em 2025, caso não haja tecnologias economicamente viáveis para eliminação de metano nessa fábrica, a Empresa manterá seu compromisso de buscar uma alternativa e, quando esta for identificada/desenvolvida, adotá-la.

Ação Prazo
Instalar o novo conjunto de lagoas de tratamento de efluentes adaptadas à posterior instalação do sistema de captura e queima/utilização do gás metano, nas indústrias PARAPALMA e AGROPALMA. 2015
Instalar o novo conjunto de lagoas de tratamento de efluentes adaptadas à posterior instalação do sistema de captura e queima/utilização do gás metano, nas indústrias CRAI/AGROPAR e AMAPALMA. 2018
Instalar o novo sistema de captura e queima/utilização do gás metano, nas indústrias PARAPALMA e AGROPALMA. 2021
Instalar o novo sistema de captura e queima/utilização do gás metano, nas indústrias CRAI/AGROPAR e AMAPALMA. 2023
Instalar tecnologia de eliminação de metano na indústria CPA. 2025

 

Em relação às emissões de GEE geradas nas operações agrícolas, as principais fontes são a mudança do uso da terra, o consumo de combustíveis e a aplicação de fertilizantes. Assim, para assegurar que as emissões de GEE sejam gerenciadas também nessa etapa, o Grupo Agropalma se compromete a assegurar que suas plantações, bem como as plantações de todos os fornecedores de cachos, cumprem com a política de desmatamento zero, não realizam novos plantios em áreas de solos orgânicos, aplicam doses agronomicamente adequadas de fertilizantes e mantenham os tratores e caminhões usados para colheita e transporte de CFF em boas condições, de modo a evitar aumentos desnecessários no consumo de combustível.

Conforme registrado em nossos relatórios de sustentabilidade, a Agropalma calcula e divulga o balanço de emissões de gases de efeito estufa desde 2013. Conforme observado no gráfico abaixo, os resultados oscilam bastante ano após ano. As principais causas dessa variação são as alterações na ferramenta de cálculo fornecida pela RSPO (RSPO GHG Calculator), as mudanças da produtividade causadas pelas variações climáticas e a realização de replantios.

Nossa meta é atingir um balanço de emissões neutro, o que já conseguimos quando consideramos nossos 64 mil ha de reservas florestais como absorvedores de carbono. Contudo, independentemente do desempenho das reservas florestais, continuamos buscando a redução das emissões, por meio da otimização do consumo de combustíveis, otimização da aplicação de fertilizantes e, principalmente, da implantação dos sistemas de captura de metano dos efluentes, conforme o plano de ação registrado acima.

 

 

Fechar