Transparência Corporativa

O princípio da Transparência integra o conceito de Responsabilidade Social, adotado pelo Grupo, em consonância com a Norma Internacional ISO 2600 de 2010, e adotado pela ABNT em 2010, para demonstrar seu comprometimento para com seus clientes e público em geral, de modo a fornecer às partes interessadas, de forma acessível, clara, compreensível e em prazos adequados, todas as informações sobre fatos ou documentos que possam afetá-las, exceto nos casos em que estejam protegidos por confidencialidade comercial ou quando a divulgação das informações puder resultar em consequências negativas para o meio ambiente ou para a sociedade.

 

Os documentos disponíveis para consulta são:

  • Títulos de terras e documentação fundiária;
  • PCMSO, PPRA, PAE, LTCAT;
  • PCA, RCA, RIMA, Diagnóstico de Sondagem e demais estudos socioambientais;
  • Documentos relacionados a avaliações de áreas de alto valor para conservação (AVC);
  • Manual do Sistema Integrado de Gestão, Normas de Procedimentos Gerais e Rotinas Operacionais;
  • Detalhes de reclamações e queixas;
  • Plano de Sustentabilidade Econômica e Financeira de Longo Prazo;
  • Procedimento de negociação e aquisição de terras;
  • Plano de melhoria contínua;
  • Relatórios de certificação RSPO;
  • Relatório de Auditoria RSPO;
  • Política de Respeito aos Direitos Humanos (lançada em 2016);
  • Preços atuais e passados, pagos aos fornecedores de CFF.

Preço de CFF
(baixar) 
                  

RSPO_Report_Agropalma

RSPO_Report_Parapalma

PROCEDIMENTOS PARA LIDAR COM RECLAMAÇÕES E QUEIXAS (usadas para prevenir e lidar com qualquer tipo de conflito, inclusive os relacionados a terra).

Os interessados em consultar a documentação devem entrar em contato com a área de Comunicação Corporativa da Agropalma pelo telefone (91) 4009-8159  ou pelo e-mail comunicacao@agropalma.com.br.

O Grupo Agropalma entende que para exercer a transparência corporativa de maneira plena, também é necessário estabelecer condições para que as partes interessadas se manifestem. Por isso, está comprometido em não atuar para inibir atividades legais e regulares de pessoas ou organizações defensoras dos direitos humanos, denunciantes internos, reclamantes e representantes de comunidades, portanto não adotará qualquer ação para restringir a liberdade de expressão, a liberdade de associação ou direito de manifestação pacífica dessas pessoas e organizações.

Estamos sempre dispostos a dialogar com as pessoas e organizações desejam entender o funcionamento e os impactos de nossas operações, bem como queiram relatar sobre qualquer situação entendida por elas como um desrespeito aos direitos humanos ou a qualquer compromisso corporativo assumido pela Agropalma.

Para tanto, defensoras dos direitos humanos, denunciantes internos, reclamantes e representantes de comunidades e outras partes interessadas podem usar os diversos canais de comunicação disponibilizados pela empresa, inclusive o e-mail reclamacoesequeixas@agropalma.com.br. A mensagem será recebida pela Assessora de Comunicação Corporativa e/ou pelo Gerente de Responsabilidade Socioambiental Corporativa. Asseguramos o sigilo da identidade, caso o reclamante assim desejar. O relato também pode ser registrado anonimamente, por meio do Alô Agropalma 0800 7090 706.

Detalhes das demandas das partes interessadas de 2016, incluindo as reclamações, podem ser acessadas clicando aqui.

Em 2017, a companhia tinha 3.883 empregados (equivalente em tempo integral), sendo que 426 são mulheres, atuando principalmente nas atividades administrativas não gerenciais, e 110 jovens aprendizes contratados por meio período. A Agropalma está ciente de que as mulheres podem contribuir muito mais e, por isso, nosso departamento de recursos humanos está desenvolvendo práticas para melhorar a participação das mulheres em diversas áreas da empresa. Umas dessas práticas é provover uma composição equilibrada de gênero (50/50) entre os jovens aprendizes.

O menor salário pago pela Agropalma, em 2017, foi de R$ 954,00, enquanto o salário mínimo nacional foi de R$ 937,00. Em relação à saúde e segurança ocupacional, no mesmo ano, foi registrada a frequencia de 6,26 acidentes para cada 200.000 horas de trabalho, com uma taxa de gravidade de 4,6 dias de afastamento por acidente. Não registramos fatalidades em 2016 ou 2017.

Fechar